Os Animais e a Peste – Monteiro Lobato

9 Out

Em certo ano terrível de peste entre os animais, o leão, mais apreensivo, consultou um macaco de barbas brancas.

– Esta peste é um castigo do céu – respondeu o macaco – e o remédio é aplacarmos a cólera divina sacrificando aos deuses um de nós.

– Qual? – perguntou o leão.

– O mais carregado de crimes.

O leão fechou os olhos, concentrou-se e, depois duma pausa, disse aos súditos reunidos em redor:

– Amigos! É fora de dúvida que quem deve sacrificar-se sou eu. Cometi grandes crimes, matei centenas de veados, devorei inúmeras ovelhas e até vários pastores. Ofereço-me, pois, para o acrifício necessário ao bem comum.

A raposa adiantou-se e disse:

– Acho conveniente ouvir a confissão das outras feras. Porque, para mim, nada do que Vossa Majestade alegou constitui crime. São coisas que até que honram o nosso virtuosíssimo rei Leão.

Grandes aplausos abafaram as últimas palavras da bajuladora e o leão foi posto de lado como impróprio para o sacrifício.

Apresentou-se em seguida o tigre e repete-se a cena. Acusa-se de mil crimes, mas a raposa mostra que também ele era um anjo de inocência.

E o mesmo aconteceu com todas as outras feras.

Nisto chega a vez do burro. Adianta-se o pobre animal e diz:

– A consciência só me acusa de haver comido uma folha de couve da horta do senhor vigário.

Os animais entreolharam-se. Era muito sério aquilo. A raposa toma a palavra:

– Eis amigos, o grande criminoso! Tão horrível o que ele nos conta, que é inútil prosseguirmos na investigação. A vítima a sacrificar-se aos deuses não pode ser outra porque não pode haver crime maior do que furtar a sacratíssima couve do senhor vigário.

Toda a bicharada concordou e o triste burro foi unanimamente eleito para o sacrifício.

Moral da Estória:
Aos poderosos, tudo se desculpa…
Aos miseráveis, nada se perdoa.

 

Postado por Liliane Fuzikava

3 Respostas to “Os Animais e a Peste – Monteiro Lobato”

  1. obelletrista 21 de Outubro de 2012 às 2:19 #

    O mestre Monteiro Lobato foi um dos mais influentes escritores brasileiros do séc XX. Nascido em Taubaté, SP, ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo de sua obra infantil, onde a maioria das histórias se passava no Sítio do Picapau amarelo.

    • Shirley Maurina 24 de Outubro de 2012 às 16:41 #

      São palavras simples, causas pequenas, personagens comuns..
      Mas sempre nos dizem algo. Fazem com que o óbvio nos leve ao óbvio.. mas que em muitos casos, somente assim, nos levam a uma reflexão.. E ela, é inevitável!

  2. Aline Möller 25 de Outubro de 2012 às 18:07 #

    Monteiro Lobato consegue deixar as crianças encantadas com animais que falam, histórias simples e morais de fácil compreensão. Ao mesmo tempo prende os adultos fazendo com que esses parem pra pensar e revisem suas atitudes. Ele atinge com palavras simples e personagens comuns, como afirmou Shirley Maurina. Sua grandeza vem dessa simplicidade que pode ser entendida tanto por crianças quanto por adultos, além de permanecer atual.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: